sábado, 13 de outubro de 2012

Leitura Bíblica: Lucas 11, 27-28


Jesus disse: “Muito mais felizes são aqueles que ouvem a Palavra de Deus e a põem em prática” (Lc 11,28).

Enquanto Jesus pregava, do meio do povo uma mulher emocionada com as palavras do Mestre, gritou: “Bem-aventurada aquela que te trouxe no seio e te amamentou!” E Jesus responde de uma forma que, para alguns, é de menosprezo para com Maria, a sua mãe. Muito pelo contrário. Com esse comentário, Jesus contempla Maria com o melhor dos louvores que Ele podia fazer a sua própria Mãe.

“Felizes são os que ouvem a Palavra de Deus e a põem em prática”. Quem melhor do que Maria Santíssima fez isso? Felizes os que “ouvem” a Palavra... ouvir ultrapassa a simples audição, significa receber, aceitar e praticar aquilo que Deus fala. A jovem Maria recebeu a visita do Anjo, ouviu a mensagem que Deus enviara especialmente para ela, aceitou, sem temer o que poderia lhe acontecer, e praticou.

Felizes, felizes, felizes... Deus quer a nossa felicidade, uma felicidade que já começa aqui, apesar de os caminhos para chegar lá muitas vezes não serem compreendidas por nós.

Maria foi a que compreendeu melhor tudo isso. O pouco que se fala sobre ela nas Escrituras é para nós um rico ensinamento de humildade, de amor por Deus, de submissão à vontade de Deus. Maria, a mãe de Jesus, não é somente afortunada por tê-Lo trazido ao mundo, por tê-Lo amamentado e criado, mas principalmente por ter sido ouvinte e praticante da Palavra. Que mãe seria capaz de suportar a tristeza de ouvir que seu coração seria traspassado e que seu filho seria sinal de contradição no seu povo e mesmo assim continuar fiel a Deus? Maria conhecia as Escrituras, sabia dos planos de Deus para o Seu povo (um Salvador seria enviado) e acreditou que o Salvador era aquele que foi no seu ventre gerado e nos seus peitos amamentado. Maria viveu a Palavra!

Não sejamos preguiçosos ao ler a Palavra de Deus, pousando nossos olhos apenas no que está escrito. Peçamos ao Espírito Santo para iluminar a nossa mente, para nos dar o dom do discernimento, pois só assim, iluminados pela luz da fé, seremos capazes de entender tudo o que Deus quer nos falar por meio das Escrituras.

Que Maria, mãe do Amor Perfeito, rogue por nós!

Um comentário:

Anônimo disse...

Concordo com a humildade e obediência de Maria. Mas em nada tem haver com o conexto apresentado por Jesus neste texto.